quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Palestra Saúde do Homem

Palestra Saúde do Homem, com Dr. Fernando Oliveira e Enfermeira Nely Macedo da SMS/DAI, Setor de Saúde do Homem e Idoso, 14/10/2014, na SME.

Saúde do/a Trabalhador/a

29/09/2014 - 13h05 - Saúde do Trabalhador

Saúde do Trabalhador: atuação do MP incentiva criação de núcleo multiprofissional na PM-GO

apresentação dos programas aconteceu no dia 29 de agosto
apresentação dos programas aconteceu no dia 29 de agosto
A Polícia Militar de Goiás instituiu oficialmente o Núcleo Integrado de Atenção Biopsicossocial (Niab) da corporação e o Núcleo Epidemiológico, área que será responsável pelo estudo epidemiológico dos dados coletados a partir dos exames periódicos de saúde realizados pelos policiais militares. A concretização desta iniciativa foi possível a partir de tratativas da PM-GO com o promotor Vilanir de Alencar Camapum Júnior, da Promotoria de Justiça de Saúde do Trabalhador.
A reunião que instituiu as propostas aconteceu no dia 29 de agosto. Conforme detalhado no encontro, o Niab é composto por uma equipe multiprofissional que vai se encarregar de acompanhar e identificar as origens de situações que levam os profissionais a desenvolverem enfermidades mentais. Já o Núcleo Epidemiológico vai reunir os dados de saúde dos policiais para identificar os fatores ou situações de risco visando atuar de forma preventiva. “É preciso evitar que o servidor chegue à situação de afastamento por estresse mental, por isso é tão importante a atuação preventiva da equipe multiprofissional”, observa o promotor.
Segundo destaca Vilanir Camapum, desde 2010 o Ministério Público de Goiás tem intensificado o foco de atuação em ações que exigem a melhoria da saúde mental dos profissionais que atuam no âmbito da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Inicialmente, a pedido do MP-GO, a secretaria contratou dois psicólogos para atuar especificamente nos casos relacionados a questões de saúde mental da PM. Assim, com a Instrução Normativa nº 1/2013 foram instituídos os núcleos nas Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Técnico-Científica, na Secretaria de Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus) e no Sistema Socioeducativo do Estado de Goiás (que lida com jovens em conflito com a lei).
Afastamentos
Conforme esclarece o promotor, a abrangência de atuação da Promotoria de Saúde do Trabalhador contempla ainda as Secretarias Estaduais de Educação e de Saúde, por possuírem altos índices de afastamento de servidores por questões de saúde mental, como estresse, depressão e assédio moral. Em Goiânia, a promotoria também tem alcançados bons resultados com a implementação de núcleos de atenção biopsicossociais nas Secretarias de Saúde, Educação e na Guarda Municipal.
Vilanir Camapum cita a efetividade de atuação da equipe multiprofissional da Secretaria Municipal de Educação, que tem conseguido solucionar conflitos interpessoais, com o devido acompanhamento dos servidores envolvidos. “As demandas chegam ao núcleo tanto pela promotoria como pelos profissionais afetados e, na maioria dos casos, as divergências são resolvidas por meio da intermediação da equipe técnica”, detalha. Ele acrescenta ainda que, quando a intervenção inicial da equipe não é suficiente para resolver o conflito com diálogo, são buscadas outras formas de dirimir as desavenças, seja por meio da transferência consentida do servidor, do gestor ou ainda pela melhor estruturação do serviço.
Este foi o caso de uma situação encontrada pela equipe da Sapejus em relação a um grupo de agentes prisionais. Devido ao pouco número de agentes no momento da revista dos visitantes a um presídio, o atendimento era lento, gerando uma enorme insatisfação dos parentes dos presos e uma situação de estresse dos agentes, que estavam em número reduzido para a demanda. Com a intervenção e análise da equipe multidisciplinar foi possível identificar a causa do problema que afetava este grupo de agentes e foi solicitado o reforço da equipe para a revista dos visitantes. 
De acordo com o promotor, a atuação de um grupo multidisciplinar possibilita não somente a identificação das causas que geram ocorrências de saúde mental dos trabalhadores, mas também possibilita o desenvolvimento de ações preventivas. A Promotoria de Saúde do Trabalhador está acompanhando a estruturação e consolidação dessas equipes nos órgãos municipais e estaduais. (Texto: Cristina Rosa - fotos: João Sérgio / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

terça-feira, 7 de outubro de 2014

II Ação Cuidando do(a) Educador(a) de Forma Intersetorial III Sarau Itinerante - Saúde e Qualidade de Vida

II Ação Cuidando do(a) Educador(a) de Forma Intersetorial
III Sarau Itinerante - Saúde e Qualidade de Vida

A Secretaria Municipal de Educação – SME e Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas - SEMGEP, através da Política Articulada de Educação da Paz – EPAZ e Centro Municipal de Atenção ao Profissional de Educação – CEMAPE, homenageiam os Profissionais da Educação da SME no mês de outubro com a II Ação Cuidando do(a) Educador(a) de Forma Intersetorial, e com o III Sarau Itinerante – Saúde e Qualidade de Vida.  


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

CURSO DE REIKI
Nível III
A Realização

Dia 29/09/2014
Turma A - matutino - 07:30 às 11:30
Turma B - vespertino - 13:30 às 17:30
Turma C - noturno 19:00 às 22:00


terça-feira, 16 de setembro de 2014

Paz, Prevenção e Saúde do Profissional da Educação

AGRADECEMOS A TODOS OS PARTICIPANTES QUE PRESTIGIARAM O III SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DA PAZ: ESTUDOS PESQUISAS E VIVÊNCIAS
 (15/09/2014 - AUDITÓRIO ELI FORTE DA OAB)


E8-9 03 SME

Prevenção à saúde do trabalhador, redução da violência, capacidade de mediar conflitos nos ambientes educacionais são alguns dos meios utilizados na construção de uma cultura de paz
Mahatma Gandhi disse: “não há caminho para paz, a paz é o caminho”. Com a convicção de que a paz é um processo contínuo e urge mediante a uma sociedade movida pela violência, escolas e centros municipais de educação infantil de Goiânia participaram nos últimos dias, 15 a 21 de setembro, da Semana de Educação da Paz.
A realização da semana está prevista no calendário escolar há três anos e atende à Lei Municipal n° 8.929, de 20 de julho de 2010, que instituiu o dia 15 de setembro, como o Dia Municipal da Cultura de Paz. Promovido pela Secretaria Municipal de Educação (SME), por meio da Política Articulada de Educação da Paz (Epaz) - instituída em 2011, o período tem como objetivo promover, articu­lar e integrar ações de cultura de paz na rede pública.
Desde então, o Cmei Residencial Itamaracá acolheu o desafio e desenvolve a temática dentro da Proposta Político-Pedagógica (PPP). Por prestar atendimento às crianças de seis meses à cinco anos e onze meses, os educadores adotam, durante todo o ano, metodologias de apreciação de filmes, clipes musicais, contação de histórias, entre outros.
A professora Edelmaci Travasso relata como a instituição avalia o alcance dos ensinamentos. “Lem­brando que a Epaz visa, sobretudo, a formação de construtores de pontes de paz e que as crianças são multiplicadores de conhecimentos, em setembro, levamos os valores de paz, de amor e respeito às famílias por meio de caminhadas, panfletagens e um dia de integração Cmei-família”, explica.
Outro exemplo de valorização e disseminação da cultura de paz na rede de ensino municipal é a Escola Municipal Vereador Carlos Eurico de Carvalho Alves, que trabalha de forma sistematizada e planejada o tema desde o início do ano nas aulas e atividades extraclasse como eventos, palestra e oficinas para alunos e professores.
“Desde que começamos a construir uma cultura de paz, notamos mudanças de comportamento e no ambiente educacional. Havia muitas pichações, que diminuíram visivelmente, e a relação alunos professor também melhorou”, afirma Eleuzenira Maria de Menezes, professora de História.
Para a secretária de Educação da Capital, Neyde Aparecida, incentivar e cultivar a paz a partir do ambiente escolar tem grande significado. “Vivemos em um mundo violento, onde é preciso que as crianças cresçam com o sentimento de amor e respeito ao próximo para que se tornem cidadãos de bem. Esse é um dos papéis da Educação, aonde é feita a construção do caráter e ensinado os bons valores humanos”, ressalta.
Empenho pela paz
Há três anos, a Epaz foi instituída na rede municipal com o objetivo de promover, articular e integrar iniciativas de prevenção e acompanhamento de conflitos e violência, atuando para consolidar a cultura depaz nas unidades educacionais. Para tanto, a Política também é responsável pela coordenação de cursos, minicursos, seminários e grupos de trabalho e estudo que auxiliam a subsidiar a realização dos trabalhos.
coordenadora geral da Epaz, Genivalda Cravo, aponta os frutos colhidos ao longo do trabalho. “Nesses três anos, a Epaz acompanhou e potencializou as experiências exitosas desenvolvidas na rede municipal. Formamos multiplicadores de educação da paz, instituímos a comissão de mediação de conflitos e convivência pacífica”, enumera.
Genivalda lembra que ter paz, não é estar em uma ambiente sem conflitos, mas sim, ter a capacidade/ estratégias para lidar com essas situações adversas. “Nosso foco é facilitar o diálogo entre as partes em conflito e restabelecer o ambiente saudável, mas é preciso ter a disposição das pessoas para que elas estejam abertas à mudanças e consequentemente haja a reconciliação. Sem esta condição não podemos colaborar, este é nosso limite”, afirmou a coordenadora da Epaz.
As formações são voltadas para professores e servidores administrativos e tem carga-horárias que variam de quatro à 80 horas/aula. Além das formações, uma vez por ano, a Epaz promove o Seminário de Educação da Paz – estudos, pesquisas e vivências. Neste ano, o evento abriu oficialmente a Semana de Educação da Paz e contou com mais de 300 participantes que refletiram e discutiram sobre a Políti­ca Intersetorial de Segurança e Saú­de dos Profissionais da Educação (Pisspe).
Corpo e mente sã
Muito além do que fomentar a capacidade de mediar conflitos, subsidiar estratégias para driblar a violência e propor ações que promovam a cultura de paz nas instituições educacionais, a Política Articulada de Educação da Paz (Epaz/SME) empenha-se prioritariamente em garantir segurança, saúde e bem-estar do profissional. Objetivo que integra a Política Intersetorial de Segurança e Saúde do Trabalhador no Trabalho dos Servidores Municipais, sancionada pelo prefeito Paulo Garcia em 23 de novembro de 2012.
Atividades como “Sarau Itinerante- Saúde Integral e Qualidade de Vida”, biodança, gerenciamento do Estresse e da Síndrome de Burnout, “Cuidando do Educador de forma Intersetorial” são também desenvolvidas em atenção à qualidade de vida do trabalhador.
Em relato após uma sessão de biodança, educadora do Cmei Residencial define o bem-estar alcançado. “Uma atividade que cooperou no combate ao estresse, colaborou para a harmonia e promoveu reconhecimento da relevância do outro no meu caminhar e no fazer profissional”, confessa.
Com a regulamentação da Comi­s­são Intersetorial de Segurança e Saúde dos profissionais da Edu­cação, em abril deste ano, a SME estabeleceu rede com órgãos e entidades para cuidar, diagnosticar, prevenir, divulgar, articular e desenvolver ações de prevenção a saúde do trabalhador da educação. “Nosso intuito é acompanhar e monitorar a execução da Pisspe e do Programa de Saúde Mental na SME”, destaca Márcia Maristela, apoio técnico-pedagógico da Epaz.
O promotor Vilanir de Alencar Camapum Júnior, da 68° Promo­to­ria Cívil Ministério Público do Esta­do de Goiás, encarregada da Saú­de do Trabalhador , elogia a inicia­tiva. “É preciso agradecer ao Dr. Paulo Garcia pela parceria nes­sa luta. Houve conquistas como a implementação de Sesmt’s em todos os órgãos do município, a regulamentação da lei 9.159/2012, entre outros. Fomos especializando a luta na saúde mental e a SME abraçou a luta, já fizemos, mas tem muito a ser feito ainda”, finaliza o promotor.
Prefeitura de Goiânia lança CEMAPE
A Prefeitura de Goiânia lançou no último dia 15, durante o III Seminário de Educação da Paz, realizado no auditório Eli Forte, no setor Marista, o Centro Municipal de Atenção ao Profissional da Educação (Ce­ma­pe), órgão que será coordenado pela Secretaria Municipal de Gestão de Pessoas (Semgep), Instituto Municipal de Assis­tência à Saúde (Imas), juntamente com a SME,
De acordo com Genivalda Cra­­vo, coordenadora da Epaz/SME, a unidade de atendimento, instalada no Paço Municipal, Park Lozandes, contará com reiki e demais práticas integrativas complementares, psicologia, comissão de mediação de conflito e convivência pacífica, equipe multiprofissional do Sesmt/Educação, e outros. “Trata-se da consolidação de algo que vêm sendo desenvolvido desde 2011, quando a Epaz foi criada”, define.
Para Sadmar Costa, chefe do Departamento de Saúde e Segu­rança do Trabalho da Semgep, graças à Política Intersetorial de Segurança e Saúde dos Profis­sionais da Educação (Pisspe) foi possível efetivar um espaço para o desenvolvimento das iniciativas, atividade, atendimentos e ferramentas sócio-emocionais. “O projeto tem o objetivo de conhecer, detectar e analisar os fatores determinantes e condicionantes dos agravos à saúde do servidor relacionados ao trabalho em busca da eliminação ou redução dos riscos.”, acrescenta.
O secretário municipal de Gestão de Pessoas, Paulo César Fornazier, acredita que o Cemape irá auxiliar principalmente a saúde mental do trabalhador. “Estaremos de portas-abertas para recebê-los e ajudá-los no que for preciso, pois reconhecemos a importância do profissional da educação na sociedade.”, convida. (Juliana Barcelos)
Fonte: http://tribunadoplanalto.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=19036%3Afrutos-de-paz&catid=93%3Asecretaria-municipal-de-educacao&Itemid=117

OBRIGADA!

ATÉ O PRÓXIMO ANO!


MARIA EUGÊNIA E LUIZ FERNANDO CHAFFIN HOMENAGEARAM OS/AS CONSTRUTORES/AS DE PONTES DE EPAZ E MULTIPLICADORES/AS DE EDUCAÇÃO DA PAZ


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

3 Anos de EPAZ


Hoje, 27/08/2014, a EPAZ faz 3 anos de caminhada sistêmica, articulada, integrada e compartilhada com a Sme Goiânia, Prefeitura Municipal de Goiânia, sociedade civil, comunidade educacional, intersetoriais... 

Essa Política Articulada de Educação da Paz (EPAZ) foi sonhada para garantir uma antiga reivindicação social: o investimento articulado, integrado na Prevenção e Promoção da Saúde Integral e Qualidade de Vida dos Profissionais da Educação, a Promoção dos Direitos Humanos na Educação da Paz voltada para toda comunidade educacional. Nesse sentido, a Profa. Neyde Aparecida Silva, Secretária Municipal de Educação de Goiânia, criou a EPAZ (Portaria nº 061), a Comissão de Mediação de Conflito e Convivência Pacífica (Portaria 040), a Comissão Intersetorial de Segurança e Saúde dos Profissionais da Educação (Portaria 013), o Curso de Mediação de Conflito e Convivência Pacífica (os cursistas irão criar os Núcleos de Mediação de Conflito e Convivência Pacífica nos locais de trabalho), Curso Tecendo a Educação em Direitos Humanos na Educação da Paz, Grupo de Trabalho e Estudo de Educação da Paz, Seminário de Educação da Paz: estudos, pesquisas e vivências. 

A Coordenação Geral da EPaz Sme Goiania, Profª Dra. Genivalda Cravo e a Equipe de Apoio, Márcia Maristela Silva, Gilberto Araújo, Manoel Do Bomfim R. De Souza Souza, Josiane Adorno, Ma. Christiane de Holanda, Célia Regina, Tito Oliveira, Leila Oliveira, Gleice Arruda de Melo, queremos parabenizar os Multiplicadores e as Multiplicadoras de Educação da Paz e Construtores e Construtoras de Pontes da EPAZ por esses 3 anos de caminhada sistêmica. 

Dessa forma o CEMAPE (Centro Municipal de Atenção ao Profissional da Educação) consolida-se como politica pública de forma intersetorial com a SEMGEP, SME, Prefeitura de Goiânia e outros órgãos intersetoriais. 

Convidamos vocês a estarem conosco hoje das 16:30 às 18:00 no Hall da SME para comemorar essa iniciativa criativa e inovadora nas políticas públicas.

Obrigada!